ESTATUTO EDITORIAL

Jornal Espírita tem como principais objetivos

Jornal Espírita” é um órgão de informação nacional e internacional, com periodicidade mensal, pertencente à União Espírita Cristã.

• Informar os seus associados e demais leitores sobre as atividades da Associação. Fazer a divulgação dos Eventos e das actividades doutrinárias, científicas e morais, através da colaboração de voluntárias na feitura do jornal pelos sócios interessados e contribuir para melhorar a sua formação filosófica, cultural e moral.

• Informar os seus associados e demais leitores sobre as atividades da Associação. Fazer a divulgação dos Eventos e das actividades doutrinárias, científicas e morais, através da colaboração de voluntárias na feitura do jornal pelos sócios interessados e contribuir para melhorar a sua formação filosófica, cultural e moral.

• Constituir um traço de união entre os seus associados e leitores.

• Assegurar aos seus leitores o direito a ser informado com verdade, rigor e isenção. Para tal, a Direção e Redação deste jornal comprometem-se a Respeitar o normativo da Constituição da República.

• Respeitar os princípios deontológicos da imprensa e a ética profissional. Desta forma não prossegue fins comerciais, nem abusa da boa fé dos leitores encobrindo ou deturpando a informação.

• Verificar escrupulosamente as suas fontes de informação, procurando identificá-las com precisão, reservando-se o direito de analisar, caso a caso, as circunstâncias excecionais que possam justificar o recurso, nos termos da lei, à respetiva confidencialidade, constituindo-se o jornal em garante da sua autenticidade.

• Assumir a responsabilidade de emitir opinião própria, através de editoriais assinados pela Direção, sempre de acordo com uma linha editorial que se define pelas seguintes características: - Liberdade criativa e autonomia em relação a quaisquer forças políticas, económicas ou de outras naturezas; - - Respeito pelas normas consagradas na Constituição da República Portuguesa e na Declaração Universal dos Direitos do Homem; - Defesa dos valores culturais próprios do quadro nacional, sem prejuízo do reconhecimento dos particularismos regionais e locais; - Rejeição sistemática da intolerância política, cultural ou religiosa e da segregação racista; - Reservar-se o direito de selecionar os textos a publicar, excepto aqueles que sejam enviados ao abrigo do direito de resposta. - Seguir a orientação definida nos termos da Lei de Imprensa, pelo seu Diretor e por este Estatuto Editorial tendo como limites os princípios consagrados na Constituição da República Portuguesa.

A Direção